sexta-feira, 13 de junho de 2008

Poema terrível (4)

de Francisca Costa 5ºA Nº7

O meu primo Manel
vivia no campo
e nunca cortava as unhas
porque o corta unhas estava enferrujado.
Certo dia acordou
com a unha do dedão a sair-lhe pela bota fora.
No início ele achou incómodo
e um pouco estranho
ter uma unha daquele tamanho;
rebentava com qualquer meia.
Mas depois,
quando se habituou à ideia,
começou a fazer tudo com ela:
penteava os cabelos à filha, lavrava as terras, podava,
carregava o feno, mexia a sopa…

11 comentários:

Anónimo disse...

É um bocadinho nojento mexer a sopa com as unhas dos pes.

Traquinas disse...

Hummm dormir de botas? hummm

José Duarte disse...

Eh pa, continua, porque essa tua capacidade do "non-sense" ainda dará valentes frutos.

Anónimo disse...

ta mt fixe altamenteeeeeeeeeeeeeeeee

~devia de ser vais grande meteu uma piada




da ana $ou§a do 6ºd que é o maior

carlos disse...

ta fixeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee
eeeeeeeeeeeeee




gosteiiiiiiiiiiiii

andre disse...

este texto e fixxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Bernardo disse...

... é um bocadinho... mas até está fixe o texto!

Ana M. disse...

achei engraçado

catarina silva disse...

e muito divertido e muito engraçado.

Anónimo disse...

muito fixeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee.

sandra disse...

gostei muito deste trabalho ta porreiro